• ABIES CANADENSIS

    ABIES CANADENSIS — PINUS CANADENSIS (Abies‑c.)

    O silên­cio é usa­do como uma for­ma de vin­gança por mágoa ou dor. Men­tal­mente, há um con­fli­to entre um sen­so de dev­er e a dis­tração, muitas vezes acom­pan­hado de bulim­ia. Existe um dese­jo por músi­ca como uma for­ma de escape ou con­so­lo. Os sin­tomas gástri­cos são os mais mar­cantes, numa condição catar­ral do estô­ma­go é pro­duzi­da. Exis­tem fis­sur­as pecu­liares com sen­sações de frio que são car­ac­terís­ti­cas, espe­cial­mente em mul­heres com deslo­ca­men­tos uteri­nos, provavel­mente dev­i­do à nutrição defi­ciente e debil­i­dade. A res­pi­ração e a ação do coração com­pro­meti­das. Apetece deitar o tem­po todo; pele fria e húmi­da, mãos frias; e muito fra­co. O pul­mão dire­ito e o figa­do pare­cem pequenos e duros. Gonor­réia.

    MENTAL: 

    Sen­sação de cabeça leve, embria­ga­da. Irritáv­el.

    FÍSICO:

    Fome can­i­na com o fíga­do adorme­ci­do. COM FOME, SENTIMENTO FRACO no epigástrio. Grande apetite, von­tade de com­er carne, picles, rabanetes, nabos, alca­chofras, comi­da forte.

    TENDÊNCIA A COMER MUITO ALÉM DA CAPACIDADE DA SUA DIGESTÃO (bulim­ia). Queimadu­ra e DISTENSÃO NO ESTÔMAGO E ABDÔMEN COM PALPITAÇÃO (indi­gestão). Gas­trite. Flat­ulên­cia, per­tur­ban­do a ação do coração. Dor no ombro dire­ito e con­sti­pação, com queimação no reto.

    Deslo­ca­men­tos do útero fem­i­ni­no, gen­itália. Sen­sação de dor no fun­do do útero, alivi­a­da pela pressão. Pros­tração; quer se deitar o tem­po todo. Sente que o útero está mole e fra­co.

    Febre. Suores noturnos.


    TEMÁTICA
    •O tema é que na vel­hice, esta pes­soa tor­na-se extrema­mente rígi­da, dom­i­nado­ra e moral­ista, impon­do as suas opiniões e regras sem flex­i­bil­i­dade.
    •Emb­o­ra pareça con­fi­ante, na ver­dade é inse­gu­ra e teme errar, por isso não tem cor­agem de rev­er as suas opiniões.

    •Os seus rela­ciona­men­tos ten­dem a ser viciantes, pos­sivel­mente refletindo um padrão de com­por­ta­men­to esta­b­ele­ci­do ao lon­go da vida.


    RV02


tradutor
error: Content is protected !!