• Aphis chenopodii glauci – Pulga da areia de Praia

    Aphis chenopodii glau­ci – Pul­ga da areia de Pra­ia

     

    Clíni­ca.- Cóli­cas. Coriza. A tosse. Diar­reia. Dor de cabeça. Dor de dente de Tenes­mus.

    Car­ac­terís­ti­cas. — Alguns dos sin­tomas mais notáveis de Aphis são: Coryza com queimação e morder nas mar­gens das nar­i­nas, espe­cial­mente de sep­to. Aumen­to da dor de dente mais vio­len­ta na cama, só alivi­a­do se depois de algum tem­po um suor quente ger­al irrompe. Corte no abdô­men e estron­do de fla­tus. Inefe­ti­va urgente na bex­i­ga e no reto. De man­hã, pedir após a ele­vação, várias fezes semel­hantes a súmu­las com belis­car, queiman­do em ânus com insistên­cia. Fla­tus acom­pan­ha as fezes. Fezes finas com lodo e man­chas de sangue escuro. O inse­to par­takes das pro­priedades da plan­ta em que vive, Chenopodi­um glau­cum sendo um remé­dio cóli­co pop­u­lar, e ali­a­do às Poligo­ni­nas Rheum e Rumex. Aphis é pecu­liar em ser o úni­co remé­dio que tem dor de dente — pelo suor; emb­o­ra Cham. tem ger­al ? por suor.

    Rela­ciona­men­to.- Com­para com (fer­ra­men­ta após lev­an­tar; belis­car, cor­tar antes., insistên­cia depois); Nat. sul. (esfer­ra­men­ta após lev­an­tar, com descar­ga de ven­to); Nux v. (fre­quente urs em reto e bex­i­ga); Gelsem. (calor para cima e para baixo nas costas).

    Cabeça:

    Pio­ra à noite, como com coriza; com calor tran­sitório no ros­to, grande pressão e aper­to na tes­ta ou occiput, aumen­ta­do pelo movi­men­to, com sen­sação de oscilação cere­bral na cabeça, ras­gan­do tiros nos tegu­men­tos da cabeça.

    Olhos:

    Que­bran­do o calor nas pálpe­bras durante várias noites.

    Ouvi­dos:

    Dores de ouvi­do, às vezes em um ouvi­do, e às vezes no out­ro.

    Nar­iz:

    Com esco­ri­ação nas veias.-Espirros vio­len­tos, às vezes acom­pan­hados por uma dor, como de excopia, na laringe.-Coryza, às vezes com queimadu­ra e esperteza nas bor­das das nar­i­nas, e espe­cial­mente no sep­to. Coriza flu­ente, com secreção de muco, às vezes tam­bém à noite, com pul­so acel­er­a­do.

    Face:

    Pál­i­da, amare­la­da; calor no ros­to, com a cabeça con­fun­di­da como por coriza, à noite.- Lábios fritos, às vezes espe­cial­mente na parte da man­hã.

    Dentes:

    Dor de dentes com tiros ras­ga­dos, a princí­pio em um dente molar oca, depois em todos os dentes do lado dire­ito; esten­den­do-se do lado dire­ito para a orel­ha, a têm­po­ra e o osso da bochecha.-Agravação da dor de dente na cama, que é mit­i­ga­da ape­nas após uma tran­spi­ração quente e ger­al, que se sobrepõe em um perío­do pos­te­ri­or. — Noc­tur­na ras­gan­do dores nos dentes.

    Boca e gar­gan­ta:

    Vesícu­las pálisas no final da língua.-Secura da boca e da gar­gan­ta, às vezes com aumen­to da secreção mucosa; aumen­to da secreção mucosa; aumen­to da secreção da saliva.-Grande quan­ti­dade de muco na boca e na gar­gan­ta, às vezes com um gos­to doen­tio, e com uma neces­si­dade con­stante de tossir para sair a expectoração.-Secreção de muco infla­matório na boca e na gar­gan­ta. Na gar­gan­ta, ras­pagem e queima, como de sub­stân­cias acres, às vezes com sen­sação de secu­ra e aumen­to da secreção mucosa.

    Apetite:

    Dese­jo de carne e pão; sede fre­quente, às vezes aumen­tan­do à noite, ou pro­duzi­do por uma sen­sação de secu­ra na gar­gan­ta.- Aumen­tos fre­quentes, mais fre­quente­mente vazios, ou então com um sabor do ali­men­to que foi comi­do.

    Abdó­men:

    Dores fre­quentes que belis­cam no abdó­men, às vezes durante toda a noite, ou então durante o dia, com neces­si­dade de ir às fezes, e mitra frequente.-Emissão de gases.-Corte e belis­can­do dores, com orborig­mos e emis­são de gases.-Congestão de sangue em direção à víscera abdominal.-flatulência no abdô­men, com emis­são fre­quente de gas­es.

    Orgãos urinários:

    Sen­sação como se um tiro furasse a bex­i­ga; pressão sobre a bex­i­ga, às vezes, espe­cial­mente durante um esforço para evac­uar.

    Orgãos Res­pi­ratórios:

    Ardor e ras­pagem na laringe, como de sub­stân­cias acríli­cas.- Cóce­gas, ou lanci­nações, espe­cial­mente ao ar livre, em uma atmos­fera húmi­da e fria, com irri­tação con­tínua na laringe, que causa tosse, segui­da de expec­to­ração de muco.-Voz fre­quente­mente áspera e sufo­ca­da, cujos sin­tomas são removi­dos por expi­rar por irri­tação na gar­gan­ta.

    Pescoço e dor:

    Dor no ombro esquer­do.

    Dor semel­hante a con­tusão dos mem­bros, com sen­sação de tiro que ras­ga os ombros e a parte supe­ri­or dos braços (dores reumáti­cas), ou então dos joel­hos aos pés, e esp. na tíbia e nas solas dos pés.

    Mem­bros infe­ri­ores:

    Pular e ras­gar aci­ma do joel­ho pela man­hã, após dor de dente noturna.-Sensação de cansaço nas per­nas.- Pés frios, esten­den­do-se até os joel­hos

    Gen­er­al­i­dades

    A dor (reumáti­ca) como do cansaço nos mem­bros, com lacrime­ja­men­to, como se fos­semtiros, prin­ci­pal­mente nas têm­po­ras, orel­has e dentes, que são ocos; bem como nos ombros, a parte supe­ri­or dos braços, a tíbia e as solas dos pés; sen­sação de cansaço, espe­cial­mente nas per­nas, cansaço e fraque­za à noite.

    Febre:

    Ardente em toda a super­fí­cie do cor­po, prin­ci­pal­mente nas costas, queiman­do nas pal­mas das mãos, e tendên­cia neles a tran­spi­rar de man­hã; com acel­er­ação do pul­so, prin­ci­pal­mente à noite; com coriza flu­ente, ou pul­so acel­er­a­do e des­per­to pela man­hã; com lábios sec­os e quentes; com grande tendên­cia a tran­spi­rar no ros­to, na parte da man­hã.


tradutor
error: Content is protected !!