• Bungarus fasciatus — cobra

    Bun­garus fas­cia­tus — cobra

    As car­ac­terís­ti­cas gerais deste medica­men­to são mar­cadas por aces­sos súbitos e inten­sos de cólera, que apare­cem rap­i­da­mente e tam­bém dimin­uem rap­i­da­mente, levan­do o paciente a expres­sar sua rai­va de for­ma agres­si­va, chegan­do a bater ou esbofetear aque­les com quem está zan­ga­do. O indi­ví­duo tende a falar alto e rápi­do, demon­stran­do curiosi­dade e loquaci­dade, com um impul­so para diz­er coisas que podem prej­u­dicar seus rela­ciona­men­tos.

    No aspec­to men­tal, além da cólera súbi­ta e sufo­cante por questões triv­i­ais, o paciente pode apre­sen­tar irri­tabil­i­dade, impaciên­cia e insat­is­fação con­stante, sendo facil­mente suscetív­el a mudanças de humor e choran­do sem razão aparente. Há tam­bém um medo sub­ja­cente de ser crit­i­ca­do e uma ansiedade rela­ciona­da à saúde, espe­cial­mente o medo de dormir e acor­dar inca­paz de se mover.

    Além dis­so, o paciente pode exper­i­men­tar ver­gonha e uma sen­sação de exposição e despro­teção, emb­o­ra seja sex­ual­mente desinibido. Ele pode ter sido víti­ma de vio­lên­cia social, abu­so mat­ri­mo­ni­al ou tor­tu­ra pelos sogros, o que pode influ­en­ciar seu tem­pera­men­to abu­si­vo.

    Em relação ao sono e aos son­hos, o paciente pode exper­i­men­tar son­hos vívi­dos rela­ciona­dos a situ­ações de con­fli­to, ver­gonha ou exposição, muitas vezes acor­dan­do com náusea e dor de cabeça após ess­es son­hos per­tur­badores.

    Fisi­ca­mente dores de cabeça ao pescoço, podem ocor­rer dores de cabeça frontais ou tem­po­rais, muitas vezes agravadas por ruí­do e luz solar, com mel­ho­ra após com­er. Os olhos podem ficar lacrime­jantes e sen­síveis à luz, enquan­to o nar­iz pode apre­sen­tar diminuição do olfa­to.

    Na boca, pode ocor­rer boca seca, lábios racha­dos e úlceras na lín­gua e nas gen­gi­vas, com gote­ja­men­to de sali­va durante o sono. No estô­ma­go e abdó­men, podem ocor­rer sin­tomas como peso, con­sti­pação e descon­for­to abdom­i­nal, com vômi­tos às 2h da man­hã, mel­ho­ran­do após o vômi­to.

    Nos gen­i­tais fem­i­ni­nos, há relatos de dor asso­ci­a­da à ovu­lação e men­stru­ação, bem como sen­si­bil­i­dade mamária. Nas extrem­i­dades, podem ocor­rer dores nos joel­hos e tornoze­los, fraque­za e erupções cutâneas.

    De for­ma ger­al, o paciente pode apre­sen­tar aumen­to da resistên­cia e ener­gia pela man­hã, com mel­ho­ra após com­er, mas pode se sen­tir inca­paz de se mover ao acor­dar de um cochi­lo. A fome é incon­troláv­el, com dese­jos por ali­men­tos frios e sec­os, man­teiga, quei­jo, chá e café.


    TEMÁTICA

    •O tema das cobras demon­stram uma forte com­pet­i­tivi­dade e ciúmes em ger­al, ali­men­tam-se pela sen­sação de infe­ri­or­i­dade e descon­fi­ança em relação aos out­ros. Ten­dem a ocul­tar os seus ver­dadeiros sen­ti­men­tos, sendo enganosos nos seus afe­tos, são cautelosos e dis­sim­u­la­dos ou fin­gi­dos nas inter­ações soci­ais.
    •Um dos medos mais pro­fun­dos é o temor de serem ata­ca­dos e de perderem os seus mem­bros. Têm com­por­ta­men­tos vio­len­tos, cruéis e insen­síveis quan­do se sen­tem ameaça­dos. Por vezes estes ataques de ira são plane­ja­dos e súbitos, nun­ca impul­sivos.
    •Além das questões men­tais, o tema das cobras tam­bém está asso­ci­a­do à espir­i­tu­al­i­dade e à clar­iv­idên­cia, exibindo loquaci­dade e ilusões de estar a voar. Têm sen­si­bil­i­dade no pescoço e uma relação pecu­liar com a chu­va, que pode des­en­cadear ou agravar os sin­tomas.

    •No con­tex­to físi­co, inclui dis­túr­bios da cir­cu­lação san­guínea, prob­le­mas de pele, obsti­pação, dis­túr­bios hor­mon­ais e dores de cabeça. Exibem um padrão com­por­ta­men­tal especí­fi­co, como falar muito (loquaci­dade), têm prefer­ên­cia por roupas aper­tadas ou não as supor­tam, nor­mal­mente vestem roupas vis­tosas. Há uma lig­ação sim­bóli­ca ao sub­mun­do da espir­i­tu­al­i­dade.


    RA02


tradutor
error: Content is protected !!