• Buthus australis — Cobra

    Buthus aus­tralis — Cobra

    Buthus apre­sen­ta hiper­a­tivi­dade, sendo pro­du­ti­vo e bem-suce­di­do, mas enfrentan­do insat­is­fação ao lidar com fig­uras de autori­dade. Sua natureza oposi­cionista e sofisti­ca­da leva a con­fli­tos, prej­u­di­can­do sua car­reira. Bus­can­do reivin­di­cação, acred­i­ta pos­suir uma inteligên­cia rara e espe­cial em um mun­do que con­spira con­tra ele, man­ten­do uma pos­tu­ra digna e prote­s­tando sutil­mente con­tra o sta­tus quo. Sua per­son­al­i­dade é mar­ca­da pela perseguição, ten­do difi­cul­dade em con­fi­ar nos out­ros. Pref­ere man­ter a inde­pendên­cia e esta­b­ele­cer lim­ites claros em seus rela­ciona­men­tos, evi­tan­do o con­fron­to físi­co e pri­or­izan­do a per­suasão int­elec­tu­al. Com uma natureza reser­va­da, Buthus bus­ca recon­hec­i­men­to por sua inteligên­cia e habil­i­dades, espe­cial­mente na infân­cia, desafian­do autori­dades e bus­can­do enfraque­cer a posição de fig­uras pater­nas. Entre­tan­to, essa pos­tu­ra pode ger­ar con­fli­tos e reações inflexíveis, tor­nan­do difí­cil para ela cri­ar conexões sig­ni­fica­ti­vas e duradouras. Buthus é uma figu­ra ambi­ciosa e int­elec­tu­al, mas tem uma per­spec­ti­va mis­antrópi­ca e se sente inse­guro. Val­oriza muito sua inteligên­cia e se orgul­ha de suas habil­i­dades, emb­o­ra se sin­ta con­stan­te­mente ameaça­do. Sua sen­si­bil­i­dade acen­tu­a­da e hipocon­dria a fazem temer pela per­da de suas habil­i­dades men­tais. Tam­bém tende a ser lento e metic­u­loso em suas ações. Acred­i­ta que a apre­ci­ação da músi­ca é uma qual­i­dade reser­va­da para poucos indi­ví­du­os espe­ci­ais como ela, reforçan­do sua sen­sação de supe­ri­or­i­dade e iso­la­men­to.

    Men­tal: Int­elec­tual­mente forte, mas emo­cional­mente é frágil e propen­so à depressão. Difi­cul­dade em man­ter rela­ciona­men­tos estáveis. Desafi­ador e bus­ca com­pen­sar sua frag­ili­dade físi­ca e emo­cional com sua inteligên­cia. Dores migratórias que, quan­do com­pen­sadas, a fazem sen­tir orgul­ho da resistên­cia do seu cor­po. Porém, quan­do descom­pen­sadas, as dores se tor­nam par­al­isantes e inca­pac­i­tantes. Sofre tam­bém de espas­mos e sin­tomas que pro­gri­dem lenta­mente. Pode desen­volver dependên­cia de sub­stân­cias para obter apoio e con­t­role emo­cional, geral­mente optan­do por sub­stân­cias entor­pe­centes, como ópio ou álcool. É sen­sív­el ao frio e tem foto­fo­bia. Aver­são à água. Os sin­tomas men­tais, como Sil­icea (Sil), são prin­ci­pal­mente irres­olução, pros­tração men­tal, fal­ta de auto­con­fi­ança, choran­do, indis­pos­to a falar, indifer­ença para as coisas exter­nas, ansiedade e fal­ta de con­cen­tração. Ansiedade. Irres­olução. Mudança de humor, às vezes loquaz, às vezes tac­i­turno, às vezes prostra­do, às vezes inqui­eto. Cho­ra. Medo do futuro, espe­cial­mente às 19 horas. Logor­reia.

    Cefaleia frontal. Tra­bal­ho int­elec­tu­al doloroso ou repul­si­vo. Febre e arrepios. Inibição da von­tade e das fac­ul­dades ati­vas. Cefaleia late­jante, lugar e inten­si­dade igual­mente var­iáveis. Sen­sação de grande fadi­ga, sonolên­cia e insen­si­bil­i­dade. Ver­tigem enquan­to cam­in­ha. Con­strição na gar­gan­ta. Res­pi­ração ofe­gante, com pal­pi­tações. Ver­mel­hos, lac­rimosos com foto­fo­bia. Glo­bos ocu­lares afun­da­dos. Estra­bis­mo. Espir­ros. Dores mus­cu­lares das clavícu­las e rigidez do pescoço. Tremor das extrem­i­dades. Mãos estão frias durante o calafrio. Cam­in­har doloroso e as per­nas pare­cem não quer­er se mover, ape­nas ir para trás, em vez de ir para a frente.

    Sali­vação abun­dante. Deg­lu­tição difí­cil. Dor com frio. Diar­reia.

    Sen­sação de calor no topo do coração. Como se um pedaço de madeira fos­se inseri­do entre o coração e o pul­mão.

     

    Modal­i­dades: Mel­ho­ra enquan­to come; pelo repouso. Agravação por esforços; de tarde; durante o calafrio.


tradutor
error: Content is protected !!