• CANNABIS INDICA

    CANNABIS INDICA (Cann‑i.)

    Nor­mal­mente, estes pacientes têm um históri­co de abu­so de canábis ou podem ser de tal for­ma sen­síveis à canábis que apre­sen­tam queixas mes­mos após um uso ligeiro. Ati­va (mente ráp­i­da, várias ideias, loquaci­dade, teoriza­ção) mas ao mes­mo tem­po con­funde a mente (cré­du­lo, sem pen­sa­men­to críti­co, sem dis­cern­i­men­to), chegan­do a atin­gir esta­dos de delírio. A clareza das fac­ul­dades men­tais é afe­ta­da durante muitos anos após a inter­rupção da uti­liza­ção de canábis. No entan­to, é impor­tante lem­brar que o abu­so de canábis pode pro­duzir o cenário de qual­quer remé­dio se os sin­tomas cor­re­spon­derem.

    DELIRIOS, CONFUSÃO, MEDO COMO CONSEQUENCIA DO CONSUMO DO HAXIXE

    MENTAL:

    DELIRIOS: o tem­po pas­sa muito deva­gar, alguns segun­dos pare­cem uma eternidade. Os obje­tos ou dis­tân­cias são ampli­adas, ele está fora do seu cor­po etc. Sen­sação de que mem­bros sin­gu­lares estão a flu­tu­ar. MEDO DA LOUCURA, DE PERDER O AUTO-CONTROLO. Ataques de pâni­co, com medo da morte. LOQUACIDADE. Teoriza. CONFUSÃO. Mente ráp­i­da com muitas ideias. Inca­paci­dade de recor­dar qual­quer pen­sa­men­to ou acon­tec­i­men­to por causa de out­ros pen­sa­men­tos intro­duzi­dos e emaran­hados uns com os out­ros no seu cére­bro. Muito esque­ci­do: esquece-se de palavras enquan­to está a falar; começa uma frase, e esquece-se do que ia a diz­er, pelo que pen­sa­va; os pen­sa­men­tos desa­pare­cem enquan­to fala, escreve ou lê. Rir imod­er­a­da e invol­un­tari­a­mente por nin­harias, a cada palavra que se diz. Sem­pre a faz­er a per­gun­tas. Insó­nias.

    FÍSICO:

    Movi­men­tos brus­cos inter­nos, pul­sação inter­na. Dese­jo sex­u­al aumen­ta­do, vio­len­to. Dor nas costas ao rir-se. Dor de cabeça, como se a cabeça estivesse aber­ta e fecha­da. Sede ardente e apetite voraz.

    v@


tradutor
error: Content is protected !!