• CENCHRIS CONTORTRIX

    CENCHRIS CONTORTRIX

     

    Patolo­gias de natureza ulcer­a­ti­va.

    O paciente apre­sen­ta uma sex­u­al­i­dade forte, muitas vezes acom­pan­ha­da de vício e maturi­dade sex­u­al pre­coce. No entan­to, existe um con­fli­to sub­ja­cente em relação à sua sex­u­al­i­dade, que pode ser exac­er­ba­do por exper­iên­cias pas­sadas de abu­so sex­u­al ou traição por parte dos pais. Ele pode abusar da sua sex­u­al­i­dade como for­ma de manip­u­lação, alter­nan­do entre ter­nu­ra e bon­dade e rai­va e ira. Essa dual­i­dade tam­bém se reflete em sua per­son­al­i­dade, onde demon­stra amizade segui­da de cru­el­dade, e momen­tos de desân­i­mo e melan­co­l­ia alter­na­dos com ale­gria e riso, fechan­do-se fre­quente­mente em si mes­mo.

    Além dis­so, o paciente exige atenção abso­lu­ta e pode irri­tar-se facil­mente com qual­quer um que roube a atenção de quem está falan­do. Sua descon­fi­ança em relação à família e incli­nação ao mate­ri­al­is­mo são evi­dentes, mostran­do uma tendên­cia à inve­ja, espe­cial­mente quan­do se tra­ta de rece­ber atenção.

    No aspec­to físi­co, o paciente pode expe­ri­en­ciar esta­dos alter­ados de doçu­ra alter­nan­do com rai­va, bem como uma dis­so­ci­ação da per­son­al­i­dade. Há um medo sub­ja­cente de ser vio­la­do sex­ual­mente, espe­cial­mente rela­ciona­do à homos­sex­u­al­i­dade. A reação a per­tur­bações ou ofen­sas é ráp­i­da e vio­len­ta, com uma rai­va desen­f­rea­da. A sen­sação de que o coração está a inchar e pode reben­tar tam­bém é comum, assim como a exper­iên­cia de son­hos de serem vio­la­dos.

    Além dis­so, sin­tomas físi­cos como dor de cabeça con­ges­ti­va, aler­gias, inchaço dos mem­bros e cis­tite após relações sex­u­ais são obser­va­dos. O paciente pode ter menos fome e sen­tir-se eno­ja­do com a comi­da, além de exper­i­men­tar dores ao evac­uar que se esten­dem até às costas. A lat­er­al­i­dade dire­i­ta é preva­lente, e o fíga­do pode ser afe­ta­do.


    TEMÁTICA

    •O tema das cobras demon­stram uma forte com­pet­i­tivi­dade e ciúmes em ger­al, ali­men­tam-se pela sen­sação de infe­ri­or­i­dade e descon­fi­ança em relação aos out­ros. Ten­dem a ocul­tar os seus ver­dadeiros sen­ti­men­tos, sendo enganosos nos seus afe­tos, são cautelosos e dis­sim­u­la­dos ou fin­gi­dos nas inter­ações soci­ais.
    •Um dos medos mais pro­fun­dos é o temor de serem ata­ca­dos e de perderem os seus mem­bros. Têm com­por­ta­men­tos vio­len­tos, cruéis e insen­síveis quan­do se sen­tem ameaça­dos. Por vezes estes ataques de ira são plane­ja­dos e súbitos, nun­ca impul­sivos.
    •Além das questões men­tais, o tema das cobras tam­bém está asso­ci­a­do à espir­i­tu­al­i­dade e à clar­iv­idên­cia, exibindo loquaci­dade e ilusões de estar a voar. Têm sen­si­bil­i­dade no pescoço e uma relação pecu­liar com a chu­va, que pode des­en­cadear ou agravar os sin­tomas.
    •No con­tex­to físi­co, inclui dis­túr­bios da cir­cu­lação san­guínea, prob­le­mas de pele, obsti­pação, dis­túr­bios hor­mon­ais e dores de cabeça. Exibem um padrão com­por­ta­men­tal especí­fi­co, como falar muito (loquaci­dade), têm prefer­ên­cia por roupas aper­tadas ou não as supor­tam, nor­mal­mente vestem roupas vis­tosas. Há uma lig­ação sim­bóli­ca ao sub­mun­do da espir­i­tu­al­i­dade.

    RA02


tradutor
error: Content is protected !!