• Cyclamen europaeum

    Cycla­men europaeum

    Clin­i­ca:

    Ane­mia. Ossos, dor. Clorose. Sofri­men­tos cli­matéri­cos. Coriza. Diplop­ia. Dis­pep­sia. Enter­al­gia. Olhos, afe­tos de. Dor de cabeça. Cal­can­har, dor. Soluço. Men­stru­ação, dis­túr­bios de. Per­tur­bação men­tal. Gravidez, doença de; dis­túr­bios de. Pro­sta­tite. Reuma­tismo. Estra­bis­mo. Sede, ausên­cia de. Ure­trite. Ver­tigem. Des­mame, recla­mações depois. Espas­mo do escritor.

    Mente:

    Tac­i­turno, deprim­i­do, sem humor. — Mudança repenti­na de tris­teza e ale­gria. — Fraque­za de memória. – Abor­rec­i­men­to secre­to e con­sciên­cia per­tur­ba­da. — Mau humor e desleixo, com aver­são à con­ver­sa, por vezes. — Amor ao tra­bal­ho, alter­nada­mente com indolên­cia. — Memória alter­nada­mente ráp­i­da e fra­ca. – Emb­o­ta­men­to e con­fusão men­tal, com inap­tidão para todo tipo de tra­bal­ho. — Alu­ci­nação como se duas pes­soas estivessem deitadas em sua cama e o cor­po da out­ra se sobre­pusesse ao dela pela metade.

    Cabeça:

    Ver­tigem, ao ficar em pé (ao encostar em qual­quer coisa), como se o cére­bro estivesse se moven­do. — Ver­ti­gens; ag. ao faz­er exer­cí­cios ao ar livre, amel. quan­do estou sen­ta­do em uma sala. — Dor de cabeça pela man­hã, ao lev­an­tar. — Dor de cabeça entor­pe­cente, com obscurec­i­men­to dos olhos. — Enx­aque­ca com cin­ti­lações diante dos olhos; con­forme a visão retor­na, a cabeça parece prestes a explodir. — Tiros no cére­bro ao se abaixar. — Tiros nas têm­po­ras (na têm­po­ra esquer­da, na tes­ta, com ton­tu­ra). — Comichão no couro cabe­lu­do, que só muda de situ­ação na parte coça­da (agg. à noite e em repouso, amel. por movi­men­to). — Con­gestão de sangue na cabeça; aumen­to da sen­sação de calor na cabeça.

    Olhos:

    Olhos opa­cos e vazios. — Tiros nos olhos e nas pálpe­bras. — Inchaço das pálpe­bras. — Comichão nas pálpe­bras. — Pupi­las dilatadas. — Os olhos ficam pro­fun­da­mente nas órbitas, pare­cem escuros e são cer­ca­dos por anéis azuis. — Visão dupla; estra­bis­mo. — Ardor nos olhos; ag. ao ler. — Visão con­fusa, como se estivesse olhan­do através de uma nuvem. – Cin­ti­lan­do e bril­han­do diante da vista. — Chamas ardentes dançan­do diante dos olhos.

    Ouvi­dos:

    Diminuição da audição, como se os ouvi­dos estivessem tapa­dos.

    Nar­iz:

    Diminuição do cheiro. — Coriza flu­ente, com espir­ros (man­hã).

    Dentes:

    Dor de dente, com trações sur­das à noite. — Tiros e pierc­ings nos dentes.

    Boca:

    Lín­gua car­rega­da com uma sabur­ra bran­ca. — Sen­sação con­stante de aspereza e de muco na boca. — Sen­sação de tor­por no lábio supe­ri­or, como se estivesse endure­ci­do. — Secu­ra dos lábios, sem sede. — Boca e gar­gan­ta mais ver­mel­has que o nor­mal. — Pon­tos finos na super­fí­cie da lín­gua. — Queimação na pon­ta da lín­gua (noite). — À noite, grande secu­ra no pal­adar, com fome e sede. — As amíg­dalas e o pala­to estão enruga­dos e bran­cos.

    Gar­gan­ta:

    Secu­ra na gar­gan­ta. Sen­sação de con­strição dolorosa na gar­gan­ta. — Queimação e arran­hões na gar­gan­ta. — Náusea na gar­gan­ta.

    Apetite:

    Gos­to pútri­do na boca. — Sabor insípi­do de todos os ali­men­tos. — Não há sede o dia todo, mas ocorre à noite quan­do o ros­to e as mãos ficam quentes. — Fome e apetite bas­tante fra­cos, esp. de man­hã e à noite. — Saciedade ráp­i­da, segui­da de nojo, ao começar a com­er. — Depois de com­er pouco, aver­são ao resto da comi­da, com sen­sação de náusea na gar­gan­ta. — Repugnân­cia à man­teiga (aver­são a com­er pão com man­teiga) e comi­da fria; menos aver­são a comi­da quente. — Grande incli­nação para dormir após uma refeição.

    Estô­ma­go:

    Subidas fre­quentes, vazias ou áci­das. – Lev­an­ta­men­tos, com soluços, esp. depois de uma refeição. — Náusea, com tendên­cia a vom­i­tar, e mal-estar na região do epigástrio, como após ingestão de ali­men­tos gor­durosos, esp. depois do jan­tar e do jan­tar. — Náuse­as e plen­i­tude no peito, com fome inco­mum (man­hã). — Náuse­as cau­sadas por com­er e beber; só con­seguia beber limon­a­da sem sen­tir náuse­as. — Vômi­to de muco segui­do de sono. — Vômi­to de sangue. – Agres­si­vo, com náusea, esp. à noite.

    Abdó­men:

    Plen­i­tude e pressão na boca do estô­ma­go, como se estivesse sobre­car­rega­do. — Mal-estar no abdô­men, com náusea. — Sen­si­bil­i­dade dolorosa do abdô­men, ao menor toque. — Ataques repenti­nos de aper­to, com belis­cões. — Pon­tadas no estô­ma­go, região do fíga­do, umbi­go, abdô­men. — Bor­borig­mi no abdô­men, ime­di­ata­mente após uma refeição.

    Fezes e anús:

    Evac­uações difí­ceis e fre­quentes. — Evac­uações com con­sistên­cia de papan­i­co­lau, com vômi­tos à noite. — Pressão no reto. — Descar­ga de sangue do reto. — Puxar pressão no ânus e no perí­neo, a par­tir de ulcer­ação sub­cutânea, ao cam­in­har ou sen­tar.

    Órgãos urinários:

    Fre­quente von­tade de faz­er água, com emis­são abun­dante de uri­na esbran­quiça­da. — Tiros na ure­tra, ao faz­er água, segui­dos de descar­ga repenti­na de uri­na ver­mel­ho-escu­ra.

    Órgãos sex­u­ais mas­culi­nos:

    O prepú­cio e a glân­du­la coro­na ficam dolori­dos dev­i­do à fricção leve.

    Órgãos sex­u­ais fem­i­ni­nos:

    Cata­me­nia muito pro­fusa e muito fre­quente. — Antes da men­stru­ação (à noite) dores semel­hantes às do par­to; o abdô­men esta­va incha­do e incha­do no dia ante­ri­or; o sangue men­stru­al é pre­to e coag­u­la­do. — Secreção da mama incha­da como leite. – Men­stru­ação suprim­i­da.

    Órgãos res­pi­ratórios:

    Ao ler em voz alta a voz fica fra­ca. — Ras­pagem e secu­ra na faringe, cau­san­do tosse sufo­cante.

    Peito:

    À noite, fal­ta de ar, como por fraque­za. — Ataques de asfix­ia. — Pressão no ester­no. — Opressão no peito, com difi­cul­dade de res­pi­rar. — Sen­sação de grande fraque­za no peito, como se não hou­vesse força sufi­ciente para res­pi­rar. — Lanci­nações e puxões agu­dos no peito, com res­pi­ração cur­ta e difí­cil.

    Coração:

    Pressão no coração, como por con­gestão de sangue, com pal­pi­tações cardía­cas muito sen­síveis; pon­tos na região do coração.

    Pescoço e costas:

    Dores de esco­ri­ação na nuca. — Dor, com fraque­za par­alíti­ca ou tração na nuca e no pescoço. — Dores agu­das na região lom­bar. — Pon­tos cegos na região do rim; pior ao inspi­rar.

    Mem­bros supe­ri­ores:

    Pressão, como se fos­se de cor­po duro, nos braços, até os dedos, o que difi­cul­ta a escri­ta. — Dores de tração nos braços e até nos dedos. — Con­tração lenta e semel­hante a cãi­bras do pole­gar e indi­cador dire­itos; eles têm que ser esten­di­dos pela força. — Dores nos ossos dos ante­braços, semel­hantes a hematomas, agg. por toque, pressão, movi­men­to. — Dor, como após ser atingi­do, ou dor de hematomas nos braços. — Tração dolorosa nos braços e no pul­so. — Con­tração dos dedos. — Vesícu­las ver­mel­has nas artic­u­lações dos dedos, pre­ce­di­das de coceira vio­len­ta, ces­san­do após coçar.

    Mem­bros infe­ri­ores:

    Pressão, como se fos­se de cor­po duro, nos braços, até os dedos, o que difi­cul­ta a escri­ta. — Dores de tração nos braços e até nos dedos. — Con­tração lenta e semel­hante a cãi­bras do pole­gar e indi­cador dire­itos; eles têm que ser esten­di­dos pela força. — Dores nos ossos dos ante­braços, semel­hantes a hematomas, agg. por toque, pressão, movi­men­to. — Dor, como após ser atingi­do, ou dor de hematomas nos braços. — Tração dolorosa nos braços e no pul­so. — Con­tração dos dedos. — Vesícu­las ver­mel­has nas artic­u­lações dos dedos, pre­ce­di­das de coceira vio­len­ta, ces­san­do após coçar.

    Gen­er­al­i­dades:

    Tração pres­si­va ou rup­tura, prin­ci­pal­mente onde os ossos estão cober­tos pela pele. — Afe­tos dos tem­p­los inter­nos; fal­ta de apetite; náusea na gar­gan­ta; soluço; sim­ples pressão nos mús­cu­los; ras­ga­men­to com esti­ra­men­to e pressão nos ossos; dor como se estivesse par­al­isa­do. — Durante o movi­men­to, todos os sofri­men­tos, exce­to o desân­i­mo, desa­pare­cem; mas numerosos sin­tomas apare­cem quan­do esta­mos sen­ta­dos. – Grande las­sidão, esp. à noite, com cansaço doloroso e rigidez nas per­nas e pressão nas coxas e joel­hos.

    Pele:

    Comichão per­sis­tente em várias partes da pele, esp. quan­do sen­ta­do. — Comichão agu­da e insu­portáv­el, à noite, na cama.

    Sono:

    Grande incli­nação para deitar e dormir. — Sono tarde da noite, com pul­sações sen­síveis no cére­bro. — Pesade­lo ao adorme­cer. — Sono não reparador inter­cal­a­do com son­hos ter­ríveis.

    Febre:

    Pul­so com bati­da dupla. — Ataques de frio pela man­hã ou à noite. — Durante a noite, frio, grande sen­si­bil­i­dade ao ar frio ou ao estar descober­to. — Tremores febris e frio, segui­dos de calor, esp. na face, com ver­mel­hidão, que aumen­ta após a refeição; depois ansiedade, com calor em algu­mas partes, nas costas da mão e na nuca, mas não no ros­to.


tradutor
error: Content is protected !!