• Heloderma suspectum

    Helo­der­ma sus­pec­tum — Lagar­to

     

    Clin­i­ca:

    Cére­bro, base do, afe­ta­do. Menin­gite cere­bro-espin­hal. Frio. Dor de cabeça. Insu­fi­ciên­cia cardía­ca. Atax­ia loco­mo­to­ra. Nevral­gias. Dor­mên­cia. Par­al­isia. Par­al­isia agi­tante.

    Mente:

    Sem incli­nação para qual­quer tipo de esforço. — Inca­paci­dade de fixar a sua mente em qual­quer obje­to. — Difi­cul­dade em lem­brar a ortografia de palavras sim­ples. — Ape­sar dos sin­tomas muito graves, não está alar­ma­do; pas­si­va­mente indifer­ente. — Deprim­i­do, sente-se muito triste.

    Cabeça:

    Ver­tigem e fraque­za ao mover-se rap­i­da­mente. — Ton­turas, com tendên­cia para cair para trás. — Ton­turas e pressão fria do inte­ri­or do crânio. — Sen­sação de calor na cabeça; calor no vér­tice. — Dor de cabeça sobre a sobrancel­ha dire­i­ta. — Pressão na cabeça e no couro cabe­lu­do; pressão no crânio como se estivesse demasi­a­do cheio; mente clara mes­mo assim. — Dor e rigidez no occip­i­tal, esten­den­do-se para baixo do pescoço; pon­to dolori­do em várias partes da cabeça. — Dor inten­sa sobre a sobrancel­ha esquer­da, pas­san­do pelo olho até à base do cére­bro e descen­do para trás. — Dor de cabeça muito vio­len­ta sobre o osso tem­po­ral dire­ito, como se um tumor se for­masse e pres­sion­asse den­tro do crânio, todo o lado dire­ito afe­ta­do, pro­duzin­do dor­mên­cia no lado esquer­do do cor­po. — Dor na base do cére­bro. — Dores agu­das e em escav­ação. — Sen­sação de entor­pec­i­men­to em toda a cabeça. — Sen­sação de queimadu­ra no cére­bro; cabeça quente e cheia como se não hou­vesse espaço sufi­ciente no crânio. — Dor late­jante no topo da cabeça; cabeça dori­da e magoa­da. — Sen­sação de uma faixa à vol­ta da cabeça. — Faixa fria à vol­ta da cabeça. — Sen­sação como se o couro cabe­lu­do estivesse aper­ta­do sobre o crânio. — A cabeça fura na almo­fa­da. — Des­per­tar súbito com um abanão na cabeça. — A parte cen­tral do osso frontal é tão estran­ha que o des­per­ta.

    Olhos:

    Comichão nas pálpe­bras; lacrimação. — Peso das pálpe­bras, difi­cul­dade em man­tê-las aber­tas. — A visão mel­horou; o astig­ma­tismo foi suprim­i­do.

    Ouvi­dos:

    Pressão atrás do ouvi­do esquer­do; pressão no ouvi­do de den­tro para fora. — Fluxo abun­dante de cera (mais à esquer­da). — Orel­has secas e escor­re­ga­dias. — Zumbido no ouvi­do como um sino noturno.

    Nar­iz:

    Nar­i­na esquer­da dori­da; ulcer­a­da. — Secu­ra e comichão nas nar­i­nas. — Ataque severo de espir­ros (um arrepio severo em todas as costas). — Descar­ga flu­ente.

    Face:

    Sen­sação de calor no ros­to. — Sen­sação de frio e raste­jante da têm­po­ra até à bochecha dire­i­ta; do max­i­lar supe­ri­or dire­ito até à bochecha; — Sen­sação como se tivesse sido pic­a­do com pon­tas de gelo. — Sen­sação como se os mús­cu­los faci­ais estivessem aper­ta­dos sobre os ossos. — Rigidez da mandíbu­la. — Secu­ra dos lábios.

    Boca:

    Dor de boca. — Mui­ta sede — Lín­gua ten­ra e seca. — Lín­gua incha­da (durante três meses após a pic­a­da).

    Gar­gan­ta:

    Secu­ra; sen­sação de secu­ra na gar­gan­ta — Formigueiro. — Dor de gar­gan­ta e sen­si­bil­i­dade ao toque exter­no. — Pic­a­da, sen­sação de dor na amíg­dala dire­i­ta.

    Estô­ma­go:

    Ardor áci­do no estô­ma­go. Sede imod­er­a­da.

    Abdó­men:

    Dor na região do baço. — Dor agu­da e pen­e­trante nos intesti­nos, mais do lado esquer­do. — Dor nos ossos púbi­cos, esten­den­do-se até ao testícu­lo esquer­do. — Dores agu­das nos intesti­nos (como se estivessem cheios de alfinetes). — Acor­dou durante a noite com uma dor muito forte nos intesti­nos, na região hipogástri­ca esquer­da. — Sen­sação como se a cin­tu­ra estivesse demasi­a­do aper­ta­da.

    Fezes e anús

    Fezes soltas, copiosas, gru­mosas, pre­ce­di­das de pon­tadas no abdó­men. — Fezes soltas, pas­tosas, com flat­ulên­cia con­sid­eráv­el. — Fezes moles, escuras, difí­ceis de expelir. — As hemor­rói­das incham, dão comichão e san­gram.

    Órgãos urinários:

    Dor tipo pon­ta­da no rim dire­ito quan­do sen­ta­do; como se estivesse a ser pux­a­do em con­jun­to; segui­da de formigueiro nos dedos. — Bex­i­ga irritáv­el, von­tade fre­quente de uri­nar. — Son­hou em uri­nar na cama, mas não o fez; acor­dou e uri­nou uma grande quan­ti­dade, muito clara e bril­hante. — A uri­na não é tão livre como de cos­tume. — A uri­na não é tão livre como habit­ual­mente, é lama­cen­ta. — Fluxo inter­mi­tente, como se obstruí­do por cál­cu­los. — Uri­na, gravi­dade especí­fi­ca; amare­lo esverdea­do, féti­do (como fru­ta em decom­posição).

    Órgãos sex­u­ais mas­culi­nos:

    Ereção; mas sen­tia-se demasi­a­do cansa­do para o coito. — Coito pro­lon­ga­do, com grande praz­er e grande fluxo de sémen. — Pénis e testícu­lo inten­sa­mente frios; a pon­ta parece um pedaço de gelo; com descar­ga pega­josa. — Dor e aumen­to do testícu­lo esquer­do. — Dor sob os púbis e ao lon­go do pénis.

    Órgãos res­pi­ratórios:

    Tosse ligeira, com dor na omo­pla­ta esquer­da. — Tosse com tosse, com dor na omo­pla­ta esquer­da. — Res­pi­ração ofe­gante ao menor esforço.

    Peito:

    Pon­ta­da agu­da através do mami­lo dire­ito até ao inte­ri­or do braço dire­ito. — Sen­sação de frio no pul­mão dire­ito.

    Coração:

    Pressão no coração. — Frio no coração como se estivesse a mor­rer con­ge­la­do; frio de den­tro para fora. — Con­torções à vol­ta do coração, como se o sangue tivesse difi­cul­dade em entrar ou sair. — Formigueiros à vol­ta do coração. — Tremor e frio à vol­ta do coração. — Opressão à vol­ta do coração. — Bati­men­to do coração sen­ti­do em todo o cor­po. — O coração bate como se não tivesse espaço, todo o cor­po vibra. — Dores agu­das, dis­paran­do da esquer­da para a dire­i­ta — Pon­tadas no coração. — Dor no coração, mais sob o mami­lo esquer­do. — Pul­so, 56–72; cheio e irreg­u­lar.

    Pescoço e costas:

    Dor na parte supe­ri­or do pescoço; — Frieza nas omo­platas. — Dor nas costas; dor inten­sa nos mús­cu­los lom­bares ao acor­dar (com pon­tadas nos intesti­nos). — Dor nas costas; dor inten­sa nos mús­cu­los lom­bares que o des­per­ta (com pon­tadas nos intesti­nos). — Dor no rim dire­ito; dor em pon­tadas no rim dire­ito.

    Mem­bros supe­ri­ores:

    Dor­mên­cia do braço e da mão dire­itos com tremores. — Formigueiro nos braços e nas mãos. — Formigueiro na pal­ma da mão esquer­da e ao lon­go dos dedos. — Formigueiro na mão esquer­da, segui­do de formigueiro e pic­a­das. — Dores nas mãos, se segu­rar algo durante algum tem­po. — Tremor das mãos. — Mãos azuis, gre­tadas e ásperas.

    Mem­bros infe­ri­ores:

    Sen­sação de dor­mên­cia à vol­ta e em baixo da coxa esquer­da. — Dor na coxa esquer­da e na bar­ri­ga da per­na como se estivessem magoadas. — Sen­sação de dor­mên­cia na per­na dire­i­ta — Frio que se estende do joel­ho à bar­ri­ga da per­na — Frio nas per­nas e nos pés — Dor agu­da e per­sis­tente na tíbia da per­na dire­i­ta. — Sen­sação de uma faixa aper­ta­da à vol­ta do tornoze­lo esquer­do. — Tremor dos mem­bros. — Tremor dos mem­bros. — Formigueiro e ardor nos pés, como se estivesse a recu­per­ar de um con­ge­la­men­to. — Sen­sação como se estivesse a cam­in­har sobre uma espon­ja ou como se os pés estivessem incha­dos. — Andar cam­baleante. — Tendên­cia a virar para a dire­i­ta ao cam­in­har. — Ao cam­in­har, lev­an­ta os pés mais alto do que o habit­u­al e pousa o cal­can­har com força.

    Gen­er­al­i­dades:

    Assus­ta­do facil­mente. — Tremor, sen­sação de cansaço; muito fra­co e ner­voso; — Des­maio. — Dores inten­sas nos ossos e em todas as partes do cor­po. — Tremor do lado esquer­do; mãos tré­mu­las. — O tremor pode ser con­tro­la­do por esforço de von­tade. — Tremor ao lon­go dos ner­vos, nos mem­bros (prin­ci­pal­mente coxas e braços), quan­do na cama, muitas vezes forte o sufi­ciente para o acor­dar. — Por vezes, quan­do está a ler cal­ma­mente, o tremor apodera-se dele, agi­tan­do o cor­po de for­ma a impedir a leitu­ra (ou a escri­ta); durante alguns segun­dos de cada vez. — O veneno pas­sa como um relâm­pa­go pelo sis­tema, cau­san­do ago­nia da cabeça aos pés. — Emb­o­ra par­al­isa­dos, todos os mús­cu­los e ossos são sede de dor. — As dores vão da parte mor­di­da até à cabeça e às costas. — Grande ema­ci­ação e morte pro­lon­ga­da. — Uma condição semel­hante a uma tuber­cu­lose galopante. — O mem­bro afe­ta­do mur­cha. — Todas as secreções secam. — Os alonga­men­tos alivi­am as dores nos mús­cu­los e nos mem­bros. — Dores de pon­tadas que vão da esquer­da para a dire­i­ta — Sen­sações de entor­pec­i­men­to. — Fra­co, ton­to, com difi­cul­dade em man­ter-se de pé. — “Cam­baleante cego”; o ani­mal mor­di­do dá voltas em cír­cu­lo e morre em vinte min­u­tos. — Inca­paci­dade de me equi­li­brar. — O movi­men­to não aumen­ta a dor. — Pul­sação em todo o cor­po. — Esta­do de sobres­salto e tremor per­ante um ruí­do ligeiro. — Dores nos ossos. — Grande inchaço do mem­bro mor­di­do; dor inten­sa; gan­grena.

    Pele:

    Comichão na pele como se fos­se provo­ca­da por insec­tos. — Pele das mãos muito áspera, gre­ta­da.

    Sono:

    Sonolên­cia, mas inca­paci­dade de dormir. — Sono agi­ta­do; acor­da às 3 da man­hã. — Son­ho vívi­do sobre dar uma palestra ape­sar de se sen­tir prostra­do. — Son­hou com o lagar­to. — Son­hou que esta­va a uri­nar na cama, mas não o fez; acor­dou e uri­nou uma grande quan­ti­dade. (Este son­ho com con­se­quente micção livre repetiu-se duas noites seguidas). — Os son­hos repe­ti­ram-se na mes­ma noite. — Des­per­ta­do do sono por um abanão na cabeça; tremor dos mem­bros; dor nos mús­cu­los lom­bares. — Des­per­tar com uma sen­sação de frio que desce pelo cor­po e pelas per­nas; suor muito frio e pega­joso, que dura até de man­hã.

    Febre:

    Frio inter­no; como se estivesse a ser con­ge­la­do de den­tro para fora. — Ondas de frio sobem dos pés, ou descem da base do cére­bro. — Um frio inten­so desceu pelas costas. — Anéis frios à vol­ta do cor­po. — Sen­sív­el ao frio; encol­he-se com a exposição. — Sen­sação de calor na cabeça e no ros­to, algu­ma dor de cabeça sobre a sobrancel­ha dire­i­ta. — Calores e queimaduras na cabeça e ao lon­go da col­u­na ver­te­bral. — Pés muito quentes; calor em todo o cor­po; pas­san­do rap­i­da­mente, segui­do de frio árti­co. — Suor frio e pega­joso.


tradutor
error: Content is protected !!