• Juglans regia 

    Juglans regia 

     

    Clin­i­ca:

    Acne. Ânus, queiman­do. Glân­du­las axi­lares, supu­ração de. Can­cro. Ecti­ma. Olhos, dor por cima. Favus. Flat­ulên­cia. Dor de cabeça. Her­pes. Her­pes pre­pu­cial. Lev­i­tação, sen­sação de. Menor­ra­gia. Púr­pu­ra. Tin­ha. Escor­b­u­to. Baço, dor em. Sífil­is.

    Mente:

    Exci­ta­do à noite na cama, como se estivesse embria­ga­do, e sentin­do como se a cabeça estivesse flu­tuan­do no ar. – Rabu­gen­to e descon­tente à noite. – Relu­tante em con­ver­sar ou dis­cu­tir, como era seu cos­tume; indolên­cia men­tal. — Desatenção ao ler e fal­ta de von­tade de tra­bal­har.

    Cabeça:

    Ver­tigem. — Dor de cabeça depois do jan­tar e à noite; com o ros­to cora­do. — Sen­sação na cabeça e no nar­iz como no iní­cio de coriza. — Con­fusão na cabeça. — Calor ardente na cabeça à noite com extrem­i­dades geladas. — Peso na cabeça. – Lanci­nações na tes­ta. — Dor no lado esquer­do da tes­ta. — Dor aci­ma do olho esquer­do, com dor nos olhos. — Dor aci­ma dos olhos, ag. movi­men­to; ag. bal­ançar a cabeça ou mover os olhos; com boce­jos e sonolên­cia. — Dor aci­ma dos olhos, como se estivesse ton­to. — Late­jan­do nas têm­po­ras, amel. entran­do ao ar livre, retor­nan­do ao entrar em sala quente, com dor agu­da na parte frontal da cabeça. — Enx­aque­ca em um local na região do osso pari­etal esquer­do impedin­do a fala.

    Olhos:

    Queiman­do nos olhos. — Dor pres­si­va aci­ma do olho (esquer­do) ag. por movi­men­to. — Sen­sação de coriza.

    Ouvi­dos:

    Dor e plen­i­tude na dire­i­ta, depois na orel­ha esquer­da, depois secreção de pus de ambas as orel­has, orel­ha exter­na infla­ma­da e duas feri­das dolorosas. — Queimação na orel­ha esquer­da, depois ver­mel­hidão e inchaço, depois espin­ha por den­tro, depois secreção de pus em ambas as orel­has, agg. esquer­da, com queimação e ver­mel­hidão na orel­ha exter­na esquer­da, e sen­sação como se algo caísse den­tro da orel­ha a cada pas­so, e dor impedin­do deitar no lado esquer­do da cabeça.

    Face:

    Inchaço da bochecha esquer­da e do lábio supe­ri­or, com inchaço da gen­gi­va sobre os inci­sivos supe­ri­ores esquer­dos, sem dor de dente ante­ri­or, depois um inchaço duro, aver­mel­ha­do e doloroso na bochecha esquer­da, no meio do qual havia um cír­cu­lo ver­mel­ho escuro, bem definido, deprim­i­do, flexív­el, o pus podia ser vis­to através da pele fina, o dente aparente­mente são foi extraí­do e o pus icóri­co (de um absces­so) foi expeli­do pela aber­tu­ra, e então o inchaço desa­pare­ceu.

    Boca:

    Ras­gan­do dentes ocos, agg. calor da cama. — Lín­gua revesti­da de bran­co; pela man­hã, com sabor amar­go e vis­coso. — Lín­gua cober­ta por muco bran­co. – Sali­vação. — Tendên­cia a man­ter a boca seca depois do jan­tar, não con­seguia decidir beber vin­ho ou água como de cos­tume. — Tem gos­to amar­go. — Sabor vis­coso pela man­hã ao acor­dar.

    Gar­gan­ta:

    Muito muco.

    Apetite:

    O apetite aumen­tou. — Apetite excep­cional­mente grande sem aumen­to da sede. — Perdeu o apetite. — Sede ao com­er e aver­são ao vin­ho. — Aver­são ao fumo de taba­co à noite. — A sede aumen­tou.

    Estô­ma­go:

    Eruc­tações: vio­len­tas; fre­qüente; alto; com gos­to de depois de com­er gor­du­ra. — Plen­i­tude e inchaço do estô­ma­go, que impe­dem a pes­soa de com­er enquan­to se tem bom apetite, amel. das eruc­tações. — Soluço mais vio­len­to depois de com­er. — Náusea às 6h; e depois do jan­tar. — Vômi­to; acordei de repente, vom­itei comi­da ingeri­da qua­tro horas antes e dor­mi sem maiores prob­le­mas. — Queimação no estô­ma­go. — Dor na região epigástri­ca, com dis­ten­são do abdô­men.

    Abdó­men:

    Plen­i­tude, inchaço, ten­são e peso no abdô­men, com dese­jo fre­quente de evac­uar, amel. por eruc­tações e descar­ga de flat­ulên­cia. — Dis­ten­são: após com­er; após o jan­tar, com emis­são de flatos; com dese­jo repenti­no de evac­uar; de modo que ele deve afrouxar as roupas, com pressão no estô­ma­go; para que ele pudesse com­er pouco, ape­sar do bom apetite; dureza tim­pâni­ca do abdô­men. – Estron­do; com recla­mação; com dor pres­si­va em região epigástri­ca. — Emis­são de flatos; espe­cial­mente quan­do está deita­do. — Dor no abdô­men, amel. arro­tos.

    Dores errantes. — Dor de pressão e puxão, agg. movi­men­to, amel. aparec­i­men­to de men­stru­ação (quinze dias antes do pre­vis­to), depois, durante oito dias (em vez de três, como de cos­tume), secreção copiosa de sangue ene­gre­ci­do, muitas vezes em grandes coágu­los, com exaustão e per­da de apetite. — Desen­ho, com pressão na região do baço. – Fican­do abaixo das coste­las infe­ri­ores esquer­das. — Pressão na região do baço, com eruc­tações. — Dor abaixo das fal­sas coste­las esquer­das, ag. res­pi­rar fun­do, rir ou cur­var-se. — Dor no lado esquer­do ao cam­in­har rápi­do. — Dor no lado esquer­do com queixas errantes nos intesti­nos. — Dor aci­ma do umbi­go. — Dor no hipogástrio, com náusea. — Colap­so no hipogástrio ao mover-se ou incli­nar-se. — Corte na região hipogástri­ca dire­i­ta.

    Fezes e anús:

    Fezes: líquidas duas vezes ao dia; pre­ce­di­da ou acom­pan­ha­da de dor abdom­i­nal; afi­nar; macio, grande, final­mente quase magro. — Fezes duras; difí­cil; escas­so. — Fezes atrasadas. — Con­sti­pação. — Intesti­nos con­fi­na­dos pela man­hã, nat­u­rais à tarde. — Fezes grandes, depois dor em queimação e pressão no ânus. — Fezes escas­sas e fre­quentes; difí­cil; omi­ti­do. — Comichão no ânus à noite, na cama, com pon­tadas, obri­g­an­do a andar.

    Órgãos urinários:

    Dese­jo fre­quente de uri­nar dev­i­do à per­da do tônus ​​​​do esfínc­ter. — Insistên­cia con­stante e dribles invol­un­tários. — Von­tade con­tínua de uri­nar e micção fre­quente dia e noite, com cor­ri­men­to muito abun­dante. — Obri­ga­da a uri­nar à noite. — Obri­ga­do a uri­nar fre­quente­mente; e muito de cada vez. — Uri­na copiosa; mas sem sede. — Uri­na escas­sa e clara. — Uri­na ver­mel­ho escuro.

    Órgãos sex­u­ais mas­culi­nos:

    Ereções fre­quentes dia e noite. — Queimação no pênis após o coito com a esposa, com abrasão onde o prepú­cio se jun­ta ao pênis, depois uma faixa supu­ra­ti­va no meio do cam­in­ho entre a glande e o prepú­cio, depois a úlcera tornou-se maior, mar­gens duras, base lardácea, san­gra­men­to sob leve pressão, muitas vezes havia uma peque­na cros­ta, por baixo da qual escor­ria pus e que muitas vezes saía e deix­a­va uma úlcera supu­rante, depois uma cros­ta saudáv­el se for­mou no meio e caiu, deixan­do a pele saudáv­el, de modo que em vez de uma lon­ga e estre­i­ta havia duas peque­nas úlceras redondas; estes sararam e não deixaram cica­trizes.

    Órgãos sex­u­ais fem­i­ni­nos:

    Men­stru­ação muito pre­coce e abun­dante; descar­ga de grande quan­ti­dade de coágu­los pre­tos; pre­ce­di­do por dores de pressão no abdô­men, agg. por movi­men­to; acom­pan­ha­da de exaustão ger­al e per­da de apetite.

    Órgãos res­pi­ratórios:

    Afo­nia ou grande rouquidão.

    Peito:

    Comichão no ester­no. — Aderên­cia nos pul­mões, não depen­dente de movi­men­to ou res­pi­ração. – Opressão.

    Pul­so:

    Pul­so rápi­do e cheio.

    Costas:

    Pon­tos na região sacral. — Pon­tadas vio­len­tas na região lom­bar, fazen­do tremer.

    Mem­bros:

    Dor semel­hante a uma torção, na primeira falange e artic­u­lação do pole­gar esquer­do, agg. movi­men­to e, enquan­to esta­va na cama, a mes­ma dor no dedão do pé dire­ito. — Pic­a­das e coceira na per­na dire­i­ta e nos dedos dire­itos. — Sen­sação de esti­ra­men­to e par­al­isia nas per­nas e joel­hos, com fraque­za e cedên­cia dos joel­hos ao cam­in­har, e uma sen­sação semel­hante na mão dire­i­ta.

    Mem­bros supe­ri­ores:

    Comichão na pele da axi­la (dire­i­ta); tet­ters for­ma­dos; depois (esquer­da). — A elet­ri­ci­dade começa nos ante­braços e nas mãos, acordando‑o enquan­to ele adormece. — Sen­sação de fraque­za na mão dire­i­ta. — Dor inter­mi­tente.

    Mem­bros infe­ri­ores:

    Dor nos quadris ou joel­hos, difi­cul­tan­do a mar­cha. — Col­isão no côndi­lo inter­no do joel­ho e sen­sação de imped­i­men­to ao cam­in­har. — Dor reumáti­ca no joel­ho que impede a mar­cha. — Dor no peito do pé dire­ito ao cam­in­har e sen­sação de imped­i­men­to. — Uma erupção de queimação e coceira nas extrem­i­dades infe­ri­ores que ocor­ria no inver­no, com coceira começan­do assim que ele se despia, foi cura­da pela pro­va.

    Gen­er­al­i­dades:

    Mús­cu­los relax­ados. — Exaustão e fal­ta de von­tade para os negó­cios habit­u­ais. — Sen­sação de intox­i­cação; como se estivesse voan­do.

    Pele:

    Erupção atrás das orel­has das cri­anças. — Erupção com comichão em todo o cor­po. — Espin­has no ros­to; espin­has ver­mel­has no ros­to, pescoço, ombros e costas, algu­mas con­tendo líqui­do espes­so; espin­has na nuca, liberan­do umi­dade quan­do arran­ha­da (como acne). — Coceira: aqui e ali; no ester­no; em mãos; mão dire­i­ta; dor­so da mão dire­i­ta, depois nos pés, tes­ta, couro cabe­lu­do e abdô­men; dedos dire­itos à tarde; per­nas, braços e abdô­men à noite, com agi­tação e inca­paci­dade de dormir; aqui e ali cau­san­do sono agi­ta­do, com son­hos e ereções; na super­fí­cie flex­o­ra do ante­braço dire­ito, próx­i­mo ao cotovelo, com queimação e man­cha ver­mel­ha, no meio da qual havia uma espin­ha, a ver­mel­hidão desa­pare­ceu, mas a espin­ha doeu e for­mou-se pus. — Fer­vuras san­guíneas grandes e dolorosas no ombro e na região do fíga­do. — Inchaços glan­du­lares (inchaços escro­fu­losos). — Pús­tu­las como no eczema, com ardor, coceira, pele ver­mel­ha e racha­da, liberan­do um líqui­do esverdea­do que endurece o lin­ho.

    Úlceras sifilíti­cas, escro­fu­losas e mer­cu­ri­ais e her­pes. — Comichão na axi­la dire­i­ta, com queimação, pele dolori­da e racha­da, depois ver­mel­ha e escamosa, tornou-se úmi­da, na margem das vesícu­las ardentes, o tet­ter agg. depois de tran­spi­rar muito, a tran­spi­ração, com a secreção da erupção, enri­je­cia o lin­ho e manchava‑o de amare­lo-esverdea­do, a dor às vezes era tão grande que o movi­men­to vio­len­to dos braços era impos­sív­el, havia sem­pre novas vesícu­las e maior exten­são de ver­mel­hidão após aumen­to ardor e coceira, o mes­mo prob­le­ma na axi­la esquer­da, depois um furún­cu­lo no ombro, no proces­so cora­coide, depois um furún­cu­lo doloroso no bíceps, com ver­mel­hidão e endurec­i­men­to cir­cun­scritos, liberan­do matéria san­guino­len­ta, depois duas man­chas ver­mel­has de coceira no cotovelo dire­ito, sobre as quais um for­mou-se uma pús­tu­la amarela, um furún­cu­lo, com endurec­i­men­to e dor, entre a 9ª e a 10ª coste­las, com secreção espes­sa e san­guino­len­ta, deixan­do um endurec­i­men­to, nes­sa época uma man­cha ver­mel­ha per­to da sede do segun­do furún­cu­lo, tor­nan­do-se como uma glân­du­la endure­ci­da, neste momen­to em peito do pé esquer­do, depois à dire­i­ta ver­mel­hidão, com coceira e vesícu­las, deixan­do cros­ta dura, onde todo o local ficou ele­va­do e dolori­do, as crostas foram pres­sion­adas pelas botas e esfre­gadas de modo que a parte ficou em carne viva, após a cica­triza­ção a man­cha ficou azu­la­da ver­mel­ho e incha­do.

    Sono:

    Boce­jan­do; à tarde, com alonga­men­to. – Sonolên­cia. — Inca­paci­dade de dormir depois do jan­tar, emb­o­ra ten­ha tendên­cia a fazê-lo mais cedo do que o habit­u­al. — Sono agi­ta­do, com son­hos ter­ríveis. — Son­hos inqui­etos.

    Febre:

    Pul­so cheio e fre­quente à noite. — Mem­bros frios; depois das 21h, com a cabeça quente. — Alternân­cias de frio e calor em ataques cur­tos durante o dia. — Alternân­cias de frio e calor por todo o cor­po, com peso na cabeça, que depois de com­er aumen­ta­va para dor, amel. depois das 15h — Aque­cer todo o cor­po à noite. — Ataques fre­quentes e repenti­nos de ondas de calor. — Calor em rubores, com con­fusão de cabeça. — Ros­to quente e ardente à noite, com extrem­i­dades frias. — Cabeça quente à noite. — Mãos quentes às 21h, com pul­so rápi­do e depois suor gen­er­al­iza­do. — Man­chas de suor amare­lo-esverdeadas e lin­ho endure­ci­do.


tradutor
error: Content is protected !!