• Moschus

    Moschus — Vea­do

    Clin­i­ca:

    Angi­na de peito. Catalep­sia. Garu­pa. Dia­betes. Disp­neia. Epilep­sia. Des­maio. Coração, fal­ha de. Her­pes mer­cu­r­ial e venéreo. Soluço. Hipocon­dria. His­te­ria. His­teroepilep­sia. Impotên­cia. Laringis­mo. Pul­mões, par­al­isia dos. Gravidez, queixas de. Rai­va, ataques de. Pic­a­das. Tifóide. Ver­tigem. Tosse con­vul­sa.

    Mente:

    Exci­tação como por causa do álcool. — Grande dis­tração, às vezes com fala con­fusa. — Pre­ocu­pação, durante a qual o paciente fala con­si­go mes­mo e ges­tic­u­la, como se estivesse desprovi­do de razão. — Ativi­dade agi­ta­da, com fraque­za, para que tudo caia das mãos. – Mente inqui­eta. — Choro em um momen­to, risa­da incon­troláv­el no out­ro. — Queixas e lamen­tações por sofri­men­tos exces­sivos, com impos­si­bil­i­dade de indicar a parte afe­ta­da; quan­do ques­tion­a­do, o paciente recla­ma com ain­da mais urgên­cia, mas sem diz­er onde sofre. — Apreen­são da morte e timidez exces­si­va em mor­rer. — Ansiedade hipocon­dría­ca, às vezes com pal­pi­tações cardía­cas. – Humor extrema­mente briguen­to e grande iras­ci­bil­i­dade, com paixão, chegan­do até à fúria. — Rai­va muito vio­len­ta, delírios e repreen­sões até a boca secar, os lábios azuis, os olhos arregal­a­dos, o ros­to mor­tal­mente páli­do e ela cai incon­sciente. — Per­da de memória.

    Cabeça:

    Ver­tigem e oscilação diante dos olhos, ao menor movi­men­to da cabeça ou das pálpe­bras. — Ver­tigem ag. cur­va­do, amel. ascen­dente. — Ver­ti­gens, até per­da de con­sciên­cia, ou com des­maios. — Ver­tigem, com sen­sação de que­da. — Ver­tigem, com náuse­as e vômi­tos, von­tade de deitar e von­tade de tomar café. — Ton­tu­ra, como por intox­i­cação. — Dor de cabeça, com náuse­as e vômi­tos, que obri­ga a deitar. — Peso na cabeça. — Dor de cabeça com­pres­si­va e ator­doante, esp. logo aci­ma da raiz do nar­iz; com náusea à noite, amel. moven­do a cabeça, e no quar­to, amel. ao ar livre. — Cãi­bras e esti­ra­men­to ten­so na cabeça, e esp. no occip­i­tal, esten­den­do-se quase até a nuca; com náusea, ag. à noite, quan­do estou sen­ta­do no quar­to e quan­do sin­to frio, amel. ao ar livre e quan­do estiv­er quente. — Con­gestão na cabeça. — Con­gestão de sangue na cabeça, peso na cabeça. — Dor dolori­da e incô­mo­da no occip­i­tal, como se um prego tivesse sido crava­do no cére­bro; ag. sen­ta­do em uma sala.

    Olhos:

    Olhos opa­cos, com dor pre­mente em can­thi. – Lacrime­ja­men­to. — Olhos fixos, bril­hantes, com uma espé­cie de ton­tu­ra e desân­i­mo. — Obscurec­i­men­to repenti­no dos olhos. — Olhos volta­dos para cima, fixos e bril­hantes. — Pressão, coceira e espin­has nos olhos. — Peque­nas espin­has ver­mel­has nas pálpe­bras supe­ri­ores. — Comichão.

    Ouvi­dos:

    Erupções nas orel­has, com dor ardente após coçar. — Crepi­tação e rachaduras nos ouvi­dos. – Rug­in­do diante dos ouvi­dos. — Det­on­ação no ouvi­do (dire­ito) como o dis­paro de um can­hão, acom­pan­ha­da de descar­ga de algu­mas gotas de sangue. — Can­tan­do zumbido. — (Ruí­do nos ouvi­dos durante qua­tro anos, como uma máquina a vapor estri­dente, para e muda de caráter; data do par­to e ocorre no perío­do men­stru­al). — Dureza audi­ti­va. — Descar­ga de cerú­men dos ouvi­dos.

    Nar­iz:

    Epis­taxe. — Formiga­men­to na extrem­i­dade do nar­iz, como se fos­se cau­sa­do por inse­tos.

    Face:

    Calor no ros­to, às vezes sem ver­mel­hidão e com olhos opa­cos. — Calor em uma bochecha (esquer­da), sem ver­mel­hidão, enquan­to a out­ra (dire­i­ta) fica ver­mel­ha sem calor. — Ros­to páli­do, com tran­spi­ração. — Movi­men­to da mandíbu­la infe­ri­or, como se estivesse masti­gan­do. — Tez pál­i­da e ter­rosa. — Ten­são nos mús­cu­los da face, como se fos­sem muito cur­tos.

    Boca:

    Desca­mação dos lábios. — Grande secu­ra na boca.

    Estô­ma­go:

    Sabor pútri­do de comi­da. — Grande von­tade de cerve­ja ou con­haque. – Sede. — Aver­são à comi­da. — Des­ma­ia enquan­to come. — Soluço espas­módi­co. — Eruc­tações vio­len­tas, às vezes com náuse­as. — Ataques repenti­nos de náusea; à vista ou pen­sa­men­to de comi­da. — Náusea, que surge do epigástrio, com retração do umbi­go e dores semel­hantes a cãi­bras. — Vômi­to vio­len­to, esp. pela man­hã, e muitas vezes acom­pan­ha­da de dor no estô­ma­go e no peito e dis­ten­são do epigástrio. — Dor no estô­ma­go. — Sen­sação de plen­i­tude e obstrução na região do estô­ma­go e epigástrio, às vezes com descon­for­to, agg. depois de uma refeição mod­er­a­da. — Ardor, sen­sação de queimação e esco­ri­ação, na região do estô­ma­go, após uma refeição.

    Abdó­men

    Espas­mos abdom­i­nais histéri­cos. — Ataques de con­tração dolorosa na região umbil­i­cal, com res­pi­ração sus­pen­sa. — Sen­sação de ten­são no abdô­men, como se as roupas estivessem muito aper­tadas, acom­pan­ha­da de uma ansiedade que não per­mite a atenção a qual­quer tipo de tra­bal­ho, nem a per­manên­cia no mes­mo lugar, mas obri­ga a cor­rer con­stan­te­mente de um lado para o out­ro. — Encar­ce­ra­men­to de flatos.

    Fezes e anús:

    Obsti­pação, espe­cial­mente depois de tomar café. — Fezes moles, com cheiro ado­ci­ca­do. — Diar­réia (invol­un­tária), esp. à noite e às vezes durante o sono. — Diar­réia, com cortes vio­len­tos. — As evac­uações soltas estão sem­pre mis­tu­radas com matéria fecal. — Fezes da cor sépia. — Dese­jo urgente e inefi­caz de evac­uar. — Pon­tadas no ânus, esten­den­do-se até a bex­i­ga.

    Órgãos urinários:

    Uri­na aqu­osa abun­dante.

    Órgãos sex­u­ais mas­culi­nos:

    Grande aumen­to do dese­jo sex­u­al, às vezes com cóce­gas insu­portáveis ​​nas partes, ou dores ten­si­vas no pênis. — Um pequeno pênis retraí­do em um homem idoso de repente atinge seu taman­ho ante­ri­or; um homem impo­tente tornou-se nat­ur­al. — Impotên­cia oca­sion­a­da por res­fri­a­do; dia­betes ante­ri­or. — Poluições invol­un­tárias dolorosas sem ereção. — Ereção, com dor ardente na ure­tra. — Ereções com von­tade de uri­nar. — Náuse­as e vômi­tos após o coito.

    Órgãos sex­u­ais fem­i­ni­nos:

    Dese­jo sex­u­al vio­len­to. — Men­stru­ação: muito pre­coce e muito pro­fusa, com dores inten­sas; com exci­tação intol­eráv­el nos gen­i­tais; grande dis­posição para des­ma­iar. — Dese­jo muito exci­ta­do (numa mul­her idosa). — Puxão e sen­sação de que­da em direção ao hipogástrio e aos órgãos gen­i­tais durante a men­stru­ação. — Dis­menor­reia com des­maios. — Abaixan­do como se a men­stru­ação fos­se apare­cer. — Durante a gravidez ela recla­ma muito, mas de nada em par­tic­u­lar.

    Órgãos res­pi­ratórios e peito:

    Uma sen­sação súbi­ta na parte supe­ri­or da laringe, como se ela estivesse fecha­da com a res­pi­ração; como se fos­se cau­sa­do pelo vapor de enx­ofre. — Tosse seca inten­sa agra­va pela man­hã, dor sob o seio esquer­do ao tossir. — Tosse con­vul­sa, últi­mo está­gio, com ver­tigem e con­strição do tórax e da traquéia. — Res­pi­ração difí­cil e fal­ta de ar, com tiros no peito. — Con­strição no peito semel­hante a cãi­bras e sufo­cante, espe­cial­mente depois de pegar um res­fri­a­do (ou ao sair para o ar livre; ou ficar com frio). — Espas­mos histéri­cos no peito. — Cóli­cas no peito, começan­do às vezes com tendên­cia a tossir e pos­te­ri­or­mente agravadas a pon­to de cri­ar deses­pero. — Dor pres­si­va no peito, a pon­to de obstru­ir a res­pi­ração.

    Roen­do o peito com sen­sação de sufo­ca­men­to. — Par­al­isia dos pul­mões, barul­ho alto de muco; inqui­etação; sín­cope. — Tiros no peito e nas lat­erais, às vezes com ver­mel­hidão e inchaço no ros­to, pupi­las dilatadas, lín­gua áspera e seca e sede ardente. — O tórax é afe­ta­do de for­ma agu­da e doloroso em todos os lados, com tosse vio­len­ta e seca. — Sen­si­bil­i­dade dolorosa no peito sob os braços, esp. quan­do pres­sion­a­do. — Uma dor opres­si­va no seio esquer­do, como se a dor fos­se forçar-se através do mami­lo. — Angi­na, aper­to no peito, obri­ga­do a res­pi­rar com força.

    Coração:

    Pal­pi­tação ansiosa do coração. — Pal­pi­tação; disp­neia; pros­tração; ner­vo­sis­mo-diz: “Vou mor­rer, eu sei que vou mor­rer”. — Sen­sação de tremor no coração, com con­strição em todo o peito. — Pros­tração segui­da de ameaça de colap­so.

    Pescoço e costas:

    Desen­hos vio­len­tos na nuca; inca­paz de virar a cabeça. — Dor nos mús­cu­los do pescoço, como se estivessem arran­ca­dos das fix­ações supe­ri­ores e infe­ri­ores. — Dor que vai da segun­da vér­te­bra cer­vi­cal até o ombro dire­ito. — Dores fortes na col­u­na que se esten­dem até a artic­u­lação do quadril e se tor­nam tão vio­len­tas que ele gri­ta. — Dor vio­len­ta nas costas, como se os teci­dos estivessem ten­sos (como antes da men­stru­ação). — Par­cial­mente espas­mos, par­cial­mente puxan­do dores na col­u­na. — Pressão agu­da lado esquer­do do sacro aci­ma do cóc­cix, como se tivesse sido cau­sa­do por um instru­men­to cego.

    Mem­bros supe­ri­ores:

    Dores de desen­ho em toda a exten­são do braço, prin­ci­pal­mente nos pul­sos, como por cãi­bras. — Queimação, com sen­sação de frio, nas últi­mas artic­u­lações dos dedos. — Inchaço das mãos, com dores agu­das. — Movi­men­tos con­vul­sivos de mãos e dedos.

    Mem­bros infe­ri­ores:

    Inqui­etação nas per­nas, com fraque­za par­alíti­ca, que obri­ga a movi­men­tos con­stantes. — Tremores nas per­nas, como após grande cansaço, quan­do sen­ta­do. — Dor com­pres­si­va nas cavi­dades dos joel­hos, como se os tendões fos­sem muito cur­tos. — Fraque­za par­alíti­ca nas per­nas, ao sen­tar-se, depois de cam­in­har. — Sen­sação de frio na tíbia. — Pressão ardente nas pon­tas dos dedos dire­itos. – Dores espas­módi­cas nas unhas dos dois primeiros dedos dos pés, como se fos­sem supu­rar, não supor­ta­va nada tocá-los, só con­seguia andar descalço sobre o cal­can­har.

    Gen­er­al­i­dades:

    Pic­a­das nos mem­bros, às vezes com dor na parte afe­ta­da. — Dores semel­hantes a cãi­bras nos mem­bros. — Tremores e espas­mos, por todo o cor­po. — Fraque­za, que é sen­ti­da mais durante o repouso do que em movi­men­to. — Fraque­za a pon­to de des­ma­iar, geral­mente com frieza notur­na da pele. — Des­maios: esp. à noite (na cama), à noite ou ao ar livre, segui­da de dor de cabeça; de pes­soas histéri­c­as. — Queixas hipocon­dría­cas, orig­i­nadas no sis­tema sex­u­al. — Dor dilac­er­ante e con­tun­dente, no lado em que o paciente esteve deita­do. — Os sofri­men­tos são agg. quan­do o cor­po está res­fri­a­do. — Grande suscetibil­i­dade ao ar livre. — Belis­cões, pon­tadas e coceira, que obrigam a coçar, em difer­entes partes do cor­po. — Tétano. — Con­vul­sões com cóli­cas no peito. — Sin­tomas histéri­cos, mes­mo em home­ns. – [Podemos pen­sar forte­mente neste remé­dio em queixas ner­vosas ou espas­módi­cas onde o paciente sente muito frio; em ataques epilép­ti­cos, por exem­p­lo, onde há rig­or ou calafrios, ou tremores, como se o paciente estivesse com muito frio. — Nas queixas em que o cheiro de almís­car pro­por­ciona grande alívio. — Onde há uma sen­sação de plen­i­tude nas partes inter­nas. — Sen­sações: de frio na pele; grande sen­sação de frio nas partes exter­nas indi­vid­u­ais; frio exter­no com calor inter­no. — Dor onde há uma sen­sação de opressão, ou uma dor opres­si­va muito inten­sa. — Her­ing]

    Pele:

    Her­pes com queimação exces­si­va.

    Sono:

    Grande sonolên­cia durante o dia, com boce­jos fre­quentes e vee­mentes. – Coma. — À noite, inca­paci­dade de ficar muito tem­po deita­do na mes­ma posição; dor na parte sobre a qual o paciente se deitou, como uma lux­ação ou hematoma. — Son­hos vívi­dos, nos quais as paixões são forte­mente exci­tadas. — Son­hos em que nada dá cer­to. — Insô­nia durante toda a noite, por excitabil­i­dade do sis­tema ner­voso. — Insô­nia de pes­soas histéri­c­as.

    Febre:

    Pul­so cheio e acel­er­a­do, com ebu­lições. — Pul­so fra­co, des­maios por ane­mia. — Cir­cu­lação de sangue acel­er­a­da. — Sen­sação fre­quente de ar frio sopran­do sobre a pes­soa, esp. nas partes que estão descober­tas. — Frio exter­no com calor inter­no. — Uma bochecha está pál­i­da e quente, a out­ra está ver­mel­ha e fria. — Uma mão está quente e pál­i­da, a out­ra está fria e ver­mel­ha. — Sen­sação de frio, prin­ci­pal­mente na col­u­na, com dores de puxão. — O ar parece frio; paciente procu­ra a lareira. — Estremec­i­men­to ligeiro e fre­quente, começan­do na cabeça e espal­han­do-se por todo o cor­po. — Ataques de calor ardente à noite; na cama com fre­quên­cia ape­nas no lado dire­ito, com inqui­etação e incli­nação para desco­brir. — Suar todas as man­hãs. — Tran­spi­ração úmi­da pela man­hã, com cheiro de almís­car.


tradutor
error: Content is protected !!