• Pelecanus occidentalis

    Pele­canus occi­den­tal­is  (Pel­i­cano cas­tan­ho)

     

    Nív­el men­tal:

    Sen­sação de serem jul­ga­dos e crit­i­ca­dos pelo que fazem e, prin­ci­pal­mente, por come­terem erros.

    As coisas devem ser feitas per­feita­mente, mas eles têm uma con­fusão con­sid­eráv­el sobre como isso é — Qual é a maneira cor­re­ta de faz­er as coisas?

    Con­fusão sobre o tem­po, mas é essa con­fusão sobre como as coisas devem ser feitas que mais os afec­ta.

    Sen­tem que não têm o con­hec­i­men­to de que pre­cisam para estar no mun­do — por não serem capazes de faz­er o que acham que devem faz­er.

    Sen­tem que são respon­sáveis ​​pelas coisas que dão erra­do e pelas coisas ter­ríveis que acon­te­cem.

    Ao aplicar a razão e o cuida­do ao que estão fazen­do, ficam ain­da mais con­fu­sos e, assim, come­tem erros e se sen­tem jul­ga­dos.

    Metic­u­losos no que fazem, mas isso tende a ser con­trapro­du­cente, e ficar ato­la­do em detal­h­es sig­nifi­ca que come­tem erros e não con­seguem acer­tar e por isso se sen­tem crit­i­ca­dos.

    Per­feição e pureza — causam angús­tia porque não são coisas que podem ser real­izadas em um mun­do imper­feito e con­fu­so.

    Medo da doença e, par­tic­u­lar­mente, do câncer.

    Sen­ti­men­tos de tran­quil­i­dade e cal­ma, sat­is­fação e uma sen­sação de ser val­i­da­do.

    Prob­le­mas para seguir em frente — inca­paci­dade de deixar para trás os erros do pas­sa­do e as críti­cas e jul­ga­men­tos que foram feitos no pas­sa­do.

    Neces­si­dade de per­tencer a um grupo (como Kali­um), pois dá sub­stân­cia e segu­rança à sua existên­cia.

    Dese­jo de faz­er parte do grupo e de se incluir na enti­dade maior.

    Dis­ci­plina sig­nifi­ca liber­dade, mas deve ser uma dis­ci­plina inter­na que se adapte con­for­t­avel­mente à inte­gri­dade pes­soal – tem que ser o líder, e não aque­le que é lid­er­a­do.

    Sen­sação de sep­a­ração — sep­a­ração do mun­do real e prin­ci­pal­mente uma inca­paci­dade de se conec­tar com as pes­soas, uma pro­fun­da solidão.

    Con­fu­so e não sabe como agir no mun­do — não con­segue se conec­tar porque está con­fu­so e não sabe como faz­er a conexão.

    Sen­sação de que seri­am jul­ga­dos ou crit­i­ca­dos por sua fal­ta de sen­ti­men­to.

    Conexão espir­i­tu­al com a natureza, uma unidade com tudo — querem tra­bal­har fora e não den­tro de casa.

     

    Nív­el físi­co:

    Nar­iz — epis­taxe e con­gestão e uma tremen­da sen­si­bil­i­dade a cheiros, par­tic­u­lar­mente quími­cos ou odores não nat­u­rais que cheiram mal, enquan­to os aro­mas nat­u­rais são adoráveis — cheiro de queima­do.

    Ros­to — parece abati­do e os olhos fun­dos.

    Olhos — pare­cem estar bem aber­tos e há dores agu­das semel­hantes a agul­has.

    Boca — mandíbu­la parece sol­ta ou dolori­da e treme. Os dentes estão muito dolori­dos, parece que estão amol­e­cen­do e o barul­ho os rala.

    Peito — dores no peito são inten­sas e assus­ta­do­ras — dores geral­mente são agu­das e inten­sas.

    O apetite aumen­ta com um dese­jo par­tic­u­lar por ali­men­tos sóli­dos como pro­teí­nas e por ali­men­tos sal­ga­dos e peix­es.

     

    Modal­i­dades:

    Mel­ho­ram com exer­cí­cios.

    Neces­si­dade de alon­gar o pescoço e as per­nas ficam inqui­etas.


tradutor
error: Content is protected !!