• Schistocerca gregaria

    Schis­to­cer­ca gre­garia (Gafan­ho­to)

     

    MENTAL:

    - Têm a con­tradição de que tra­bal­har os recar­rega e os relaxa enquan­to des­cansar em casa os esgo­ta.

    - Se não for uma saí­da para a sua ener­gia, ten­dem a deslo­car-se para um local de lib­er­tação da sua explosão.

    - Esta ener­gia acu­mu­la­da assume fre­quente­mente a for­ma de ener­gia sex­u­al e frus­tração com uma neces­si­dade de lib­er­tação sex­u­al que se sobrepõe a todos os cos­tumes con­ven­cionais e ao sen­so comum.

    - Devem faz­er sexo ou mas­tur­bar-se ime­di­ata­mente, a fim de dis­si­par a ten­são sex­u­al (Bufo rana).

    - A irri­tação irá acu­mu­lar-se e pode ser lib­er­ta­da em rai­va explo­si­va.

    - A dinâmi­ca em torno de estar soz­in­ho e de estar no grupo é par­tic­u­lar­mente impor­tante.

    - No grupo, sen­tem-se restri­tos e sufo­ca­dos.

    - Estão irri­ta­dos com as pes­soas que os rodeiam e dese­jam forte­mente estar fora e soz­in­hos.

    - Por out­ro lado, estar soz­in­ho é muito inse­guro e exac­er­ba o poderoso ele­men­to de medo.

    - Se estiverem soz­in­hos são par­tic­u­lar­mente vul­neráveis, mas se tiverem com­pan­hia, estão seguros.

    - Sen­tem-se mais seguros fora, no domínio do grupo, do que den­tro de casa, no seu domínio indi­vid­ual.

    - Quan­do sen­tem que não estão a ser aceites no grupo, sen­tem a rejeição muito pro­fun­da­mente.

    - Pen­sam que são ina­ceitáveis para o grupo muito mais do que ape­nas para out­ros indi­ví­du­os.

    - Forte neces­si­dade de con­tac­to físi­co e comu­ni­cação, uma neces­si­dade de estar em con­tac­to com as pes­soas.

    - Este con­tac­to pode, con­tu­do, tam­bém ser irri­tante e pode aumen­tar a acu­mu­lação de ener­gia e ten­são, par­tic­u­lar­mente a ten­são sex­u­al.

    - O medo é pro­fun­do e irra­cional.

    - Medo do escuro, de fan­tas­mas ou assaltantes e de predadores sex­u­ais.

    - Este con­tac­to pode, con­tu­do, tam­bém ser irri­tante e pode aumen­tar a acu­mu­lação de ener­gia e ten­são, par­tic­u­lar­mente a ten­são sex­u­al.

    - Paranóia e sus­pei­ta, espe­cial­mente de que out­ros no grupo estão a falar sobre eles – mania da perseguição.

    - O grupo ofer­ece um grau de con­tro­lo, mas à cus­ta da liber­dade.

    - Em ter­mos de espaço perde-se e vai pelo cam­in­ho erra­do e em con­strang­i­men­to e cam­balear (é mais pro­nun­ci­a­do na per­cepção do tem­po).

    - O tem­po exter­no foi acel­er­a­do ou abran­da­do e não coin­cid­iu com o tem­po inter­no.

    - O dis­cur­so e par­tic­u­lar­mente a caligrafia são afec­ta­dos e é necessário um esforço para os tornar claros.

    - Onde quer que haja um con­fli­to entre o indi­ví­duo e o grupo, é prováv­el que haja con­fusão de iden­ti­dade.

    SENSAÇÃO/ILUSÕES:

    - Sen­tem que são pes­soas hor­ríveis que nun­ca serão apre­ci­adas e que não podem ser aceites.

    - A ener­gia e o medo dão-lhes uma sen­sação de estar fora de con­tro­lo.

    - Tam­bém gan­ham con­t­role ao limparem e porem as coisas em ordem.

    - A fal­ta de con­tro­lo e a sen­sação de pressão resul­tam numa sen­sação de que estão a ser sep­a­ra­dos em pequenos pedaços ou que estão ape­nas a ser man­ti­dos jun­tos por fios. Há con­fusão.

     BOCA:

    - Sali­vação e cáries e abces­sos dos dentes.

    SONHOS:

    - Son­hos que os seus nomes ou a sua aparên­cia, par­tic­u­lar­mente o seu cabe­lo, são alter­ados.

    - Son­hos com lírios e lobos e a ener­gia sex­u­al do Lil­i­um tigrinum (remé­dio veg­e­tal) e o apetite cani­no, a dinâmi­ca das matil­has e a ameaça do lobo.

    SISTEMA MASCULINO:

    - A irri­tação físi­ca dos órgãos gen­i­tais tem um forte ele­men­to de exci­tação e ten­são.

    EXTREMIDADES:

    - Fisi­ca­mente há um aumen­to de pressão inter­na e sin­tomas que ecoam isto, espe­cial­mente uma acu­mu­lação de gás lib­er­ta­do pelo arro­to.

    - Descar­gas e odores desagradáveis e pútri­dos, tam­bém são perce­bidos ou imag­i­na­dos odores desagradáveis e há uma con­sciên­cia de suji­dade e mer­da.

    - Exces­so de tran­spi­ração.

    EXTREMIDADES (DOR):

    - Dores de picar e esfaque­ar estão pre­sentes, mas há tam­bém dores de belis­cão e dores nos mús­cu­los como de uma cor­da tor­ci­da e aper­ta­da.

    MODALIDADES:

    - Mel­ho­ram estando no exte­ri­or,  fazen­do exer­cí­cio, cor­ren­do e dançan­do, onde esta ener­gia pode ser dis­si­pa­da suave­mente.

    - Mel­ho­ram com o tra­bal­ho e actividade,m porque o tra­bal­ho lhes per­mite gas­tar algu­ma da ener­gia que se está a acu­mu­lar.

    - Tudo pio­ra à noite.


tradutor
error: Content is protected !!